Grupo Relato da Sul - SP/SP - Contato: 011 9 6093-2511 / 9 6773-1059 e 7937-5149 - e-mail: antecipadu@hotmail.com -

Sobre

Relato da Sul O grupo foi fundado por : Carlos (Compositor/Intérprete) e Jairo (Compositor/Intérprete) no ano de 2003 no extremo sul da zona sul de São Paulo, para ser mais preciso no bairro do Grajaú. Também vítimas das calamidades públicas do País os Rappers começaram a compor suas letras baseadas em suas lutas diárias por sobrevivência digna e justa. No ano de 2004 iniciarem suas atividades como organizadores de eventos beneficentes em sua comunidade, com a finalidade de arrecadar alimentos destinados à creches e orfanatos da região e expor entretenimento musicalmente falando ao público de baixa renda. Em 2005 o até então Relato recebe reforço de Douglas ( Compositor/ Intérprete), também residente do bairro do Grajaú e fundador do extinto grupo Contundentes e realizam o maior evento dirigido pelo grupo “ O Rap toma as quebradas” com as presenças dos grupos: Facção Central, Detentos do Rap, A-286, Facção Anti- Sistema, DWN, Evolução Ideal, Du Guetto, entre outros e arrecadam meia tonelada de alimentos. Com influências musicais de diversificados estilos e três mentes pensantes sinônimo de conflito de opiniões, os integrantes decidem de forma democrática dar uma nova identidade ao grupo, cada um ao seu modo de compor, mas com única diretriz. Inicia-se a fase de novas composições, onde temas são expostos e debatidos e letras e produções musicais são avaliadas por todos os integrantes. Destaque por letras fortes que vão de Denúncia, informação, incentivo ao estudo, incitação ao conhecimento, até a exposição do mais puro sentimento na perda de um ente querido o Relato da Sul se prepara para lançar seu primeiro disco nas ruas que terá como título “Das Lágrimas de Injustiça Aos Caminhos de Glória” co – produzido pelo grupo e com produção musical de Erick 12, o álbum irá conter 14 faixas. Embora o nome do grupo seja Relato da Sul os músicos deixam bem claro que são por/ a favor de todas as comunidades carentes do País independente de Idade, Religião, Raça e Sexo. “Dizem que o nosso Rap é música de bandido. Hipócritas! Te esclareço que meu público vem de periferia, não de partido político.” Relato da Sul